Destaque

Igrejas católicas em Roma fechadas devido ao Coronavirus

Todas as igrejas católicas de Roma foram fechadas para conter a propagação de uma pandemia de coronavírus que matou mais de 1.000 pessoas em toda a Itália.

As igrejas reabrirão quando uma repressão mais ampla do governo italiano às reuniões públicas expirar em 3 de abril, disse o cardeal Angelo De Donatis, vigário papal de Roma, em comunicado.

Os fiéis católicos foram isentos da obrigação de comparecer à missa de domingo.

O Vaticano passou dias resistindo a ter que tomar a medida drástica de locais de culto fechados no país predominantemente católico.

Ele fechou seus museus e até a Basílica de São Pedro – partes de sua cúpula projetada por Michelangelo – para turistas enquanto o número de mortos continuava aumentando.

Continua Após A Propaganda.

Todas as massas, casamentos e funerais em todo o país também foram cancelados.

Mas alguns edifícios de igrejas no país permanecerão abertos enquanto os fiéis seguirem os regulamentos do governo e permanecerem a um metro de distância enquanto estiverem dentro.

Não ficou claro imediatamente quando as igrejas de Roma foram obrigadas a fechar em massa pela última vez.

Os nazistas e fascistas italianos mantiveram o papa Pio XII confinado ao Vaticano durante a Segunda Guerra Mundial.

Algumas igrejas de Roma mantiveram suas portas abertas durante a guerra.

– ‘Igrejas domésticas’ –

Continua Após A Propaganda.

Os fechamentos vêm com o próprio papa sofrendo de um resfriado e se comunicando com os fiéis pela transmissão ao vivo como uma precaução de segurança.

O Papa Francisco reclamou de se sentir “enjaulado” ao ler sua tradicional Oração Angelus de Domingo em uma câmera da biblioteca do Vaticano, em vez de sua janela habitual com vista para as multidões na Praça de São Pedro.

O jogador de 83 anos também foi forçado a perder sua participação semanal na quarta-feira na praça que costuma usar para abraçar e cumprimentar os fiéis de todo o mundo.

Os novos regulamentos cobrem a capital italiana e não o status da Cidade do Vaticano, localizado inteiramente dentro de Roma.

A Santa Sé registrou uma infecção pelo COVID-19 e aguarda os resultados de outra pessoa que participou de uma de suas funções no início do mês.

A declaração do cardeal disse que o acesso a “igrejas da diocese de Roma abertas ao público – e mais geralmente a edifícios religiosos de qualquer tipo abertos ao público – é proibido a todos os fiéis”.

O comunicado acrescentou que os mosteiros permaneceriam abertos a “comunidades que habitualmente os usam como residentes”.

“Esta disposição é para o bem comum”, escreveu De Donatis.

O governo italiano anunciou na quarta-feira uma repressão abrangente que fechou todas as lojas, exceto farmácias e mantimentos.

De Donatis disse que finalmente foi movido para fechar as igrejas de Roma pelas “restrições ainda mais vinculativas impostas ao movimento comum das pessoas”.

Fonte

Comentários

Publicidade
Botão Voltar ao topo